Um Novo Ciclo

Um novo Ciclo vem ao nosso encontro… vagarosamrnte.

Felizes aqueles que da Gratidão, Amor se faz presente na Fé d’outro que ainda não a encontrou. Felizes sempre serão aqueles que permitem o melhor olhar a construí-los a reinventar o melhor. Peça no constante a crescente nascente que pode banhá-lo. Basta abrir as comportas do seu coração que do alto da pedra tudo pode inovar a aventura das águas,c achoeira.

Então por estas e outras o quero fazer minha morada de um novo apredizado!!

Meu Lar

Deixe o tempo correr sobre as bordas que te asseguram, praças, ruas e avenidas podem passar neste intervalo intermitente, porém, as estradas que sucedem à frente do teu olhar
somente serão reais quando passos determinarem a intensidade de sua presença no agora.

Caminhe sem rumo, mas engenhe o seu
ponto foco de retorno. Sabemos que a vida nos prega peças a todo minuto, todavia, nunca se esqueça de quem escreve esse enredo diariamente.
Pense antes de cantar, interprete antes de amar, ensaie antes de sentir, perca antes de olhar a superfície, valorize primeiro as belezas da submersão…
A imensidão tem muito a oferecer àqueles que são seguros na fé do que creem quando simplesmente veem ou sentem. Asas foram atribuídas à imaginação e aos pássaros para que, no silêncio de toda hora, possam encontrar uma liberdade e um equilíbrio melhor a cada minuto. Encontrar sua própria
morada, mudar de ares, guardar coisas e,falar outras sem pudor e temor do que outros pensantes possam criticar.

Mas, aquele verbo imperfeito era apenas o poder do viver momentos felizes incalculáveis. Dentro de um lar existem vários tipos de ápices da felicidade, desde os menores gotejos, até os inimagináveis projetos de grandes sonhos pautados e outros ainda a serem realizado.

Ouvir as vozes mais experientes te dá a
esperança de traçar e firmar os planos já
esquecidos, porém, ao mesmo tempo, elas trazem a segurança e a determinação de continuar ou não.
Conclusão esta que se dá no decorrente
trajeto de apreciar e saborear os altos e baixos de um caminho pleno cheio das pedras atravessadas…

Pegue-as, aprecie-as e, após sua lapidação, torne-as suas garras. Felicidade, por fim, é cada segundo de amor e de dor, de perda e vitória, degustadas em doses homeopáticas de suspiros vitais de
equilíbrio alcançado em meio ao núcleo de um jardim que, um dia, alguém poderá chamar de lar.

Compartilhar artigo: