Meu Show

Determine o seu melhor hoje e faça o Fantástico amanhã. Sem muito pensar faça o seu próprio SHOW acontecer!

Show

Todo show que explode em meu peito é certeiro sem erros, pois, a passagem do som já foi feita e agora só cabe fazer valer as palavras que tocam minha voz. Deixando de rodeios rascunhando apenas as estrelas no céu escuro e distante. Tomará todo olhar escuro em claridade, pois, toda a claridade que o Sol habita pertence a aquele que ama por natureza a simplicidade da vida, o ato de viver existindo. Tudo que me envolve os olhos me diverte, desafia a criatividade e me faz refém daqueles espaços em branco que ainda contêm em uma folha. Em todo espetáculo não pode existir falhas ou ao menos não deveriam contê-las. O script é perfeito tomador de um detalhista poeta, todavia, o leitor interprete de suas vírgulas está inapto a comprar teus pensamentos. O impacto da imperfeição não é a falta de conhecimento e sim a diferença de culturas, portanto, se ao norte o poema é um refrão, ao sul pode ser uma estrofe e ainda na região central simples palavras sem junção alguma, não importa… Logo, o juiz que mora em cada um de nós tem de ter inúmeras pautas para por em pratica pensamentos racionais e outros emocionais quiçá fazer então a balança de uma platéia de sentimentos, equilíbrio. Nem a mais nem a menos somente o ideal para que as ideias possam fluir com naturalidade. Enquanto palco todos ali presentes são a morada de cada um que compõe a platéia desde um pequeno jovem a um sábio senhor. A cortina é aberta para todos, assim como, janelas e portas também. A cada cena ou cenário algum impasse pode acontecer, mas, para que o chão de um espetáculo não venha a esmorecer do pico da montanha de um tímido personagem acanhado no camarim, a solução. Em breves sopros, rugidos se tornaram silêncio. Naquele momento então a solução já estava vigente,  o personagem se foi como poeira a janelas. Todos protagonistas de tão surpresos até tinham  esquecido o porque de sua reunião no camarim. Corações palpitaram e palavras pulularam e correram ao palco da vida. Sem nada entender ao seu retorno a platéia permanecia aplaudindo. Há minutos vaias pelo silenciar de nossos passos e agora aplausos… Compunham-se a duvidas eis ali um fato ou um recuo para nossas decisões? Empenharam-se determinando um aparato a aquela platéia. Voltaram com toda felicidade, paz e fé do universo e eles aplaudiram ainda mais, pois sentiram que agora sim estavam em sintonia com o novo palco. Tudo ocorreu como planejado sem ao menos nenhuma vírgula ter planejado, fantasticamente espetacular com a permissão da redundância. Junto da platéia aplaudiram a obra ali realizada. Eis então que perceberam que o palco estava sobre o solo de uma montanha rochosa. Sem muito conter o tempo, logo se puseram de joelhos a orar e agradecer sobre aquele intervalo que agora já eterno se fez. Platéia se pôs de pé e notavelmente aos olhos dos céus bênçãos se fez plenitude sobre aquele lugar mostrando-lhes que o palco é muito mais além do que abrange a palavra de fato. É a união da diversidade com a intolerância do homem, a dignidade e fidelidade de um animal para com o homem, o egoísmo diante a assegurada morada sobre o frio, a delicadeza de acolher uma rosa com as mãos sem querer sugar a sua essência. Um dia o homem como protagonista do seu próprio caminho descubra só a tamanha importância de seguir os Sinas de Deus, mesmo que estes ainda sejam vistos através de holofotes longe de sua ganância diante o percurso de um show.

Compartilhar artigo: